Deus é mais glorificado em nós à medida em que estamos mais satisfeitos nele

Baseado em http://www.desiringgod.org/messages/the-supremacy-of-god-in-prayer

“Satisfaz-nos pela manhã com o teu amor leal, e todos os nossos dias cantaremos felizes.” Salmos 90:14

Muitos de nós não sabemos orar assim para Deus. Geralmente dizemos “sacia-me” ao dinheiro, ao prestígio, ao estilo, aos companheiros no casamento, às crianças, aos nossos trabalhos. Mas o que funciona de fato é dizermos “sacia-me” a Deus para que cantemos felizes todos os dias.

A Única Oração Que Funciona

Deus é glorificado quando estamos satisfeitos nele. E esses são os dois maiores anseios de Deus: ser glorificado e nos fazer felizes.

É como uma fonte de água. Você não glorifica uma fonte de água carregando baldes de esforço e trabalho para dentro dela e dizendo “Seja engrandecida, ó fonte!”.

Glorificamos uma fonte de água ao reconhecer o quanto estamos sedentos e, esquecendo quaisquer outras bebidas, vamos até a fonte, nos ajoelhamos diante dela e bebemos sua água dizendo “Ahhhhhh…” e chamando outros a beber dessa fonte.

A Fonte Eterna

“Espantem-se diante disso, ó céus! Fiquem horrorizados e abismados”, diz o SENHOR. “O meu povo cometeu dois crimes: eles me abandonaram, a mim, a fonte de água viva; e cavaram as suas próprias cisternas, cisternas rachadas que não retêm água.” Jeremias 2:12-13
Deus é a fonte. E o grande pecado do mundo é falhar em buscar felicidade com tanta inteligência e paixão ao ponto de esquecer-se das cisternas rachadas das paixões passageiras do mundo e jogar-se na fonte de Deus e beber dele até que estejamos satisfeitos.
Mesmo que uma citação como a que está em Jeremias pareça egocêntrica da parte de Deus, é exatamente esse posicionamento dele como única fonte de alegria que nos livra de todos os outros desejos vãos.

Ligados a Ele por Sua Glória

Deus é único. Ele vai sempre se exaltar a nós para que entendamos que somente ele pode satisfazer nossas necessidades mais profundas.
E a oração é o meio pelo qual podemos expressar o quanto precisamos dele ao ponto em que ele nos diga: “Eu sou suficiente. Peçam. Busquem. Batam. Venham. Bebam.” Esse é o ponto onde o humano e o divino se encontram, onde Deus é infinitamente supridor e eu perfeitamente incapaz, onde eu recebo a alegria e ele recebe a glória.

Deus é o Doador e não devemos servi-lo

“Ele não é servido por mãos de homens, como se necessitasse de algo, porque ele mesmo dá a todos a vida, o fôlego e as demais coisas.” Atos 17:25

Essa sentença confunde a mente da igreja porque muita gente serve como se Deus precisasse delas nas igrejas, e assim fazendo, na melhor intenção de honrá-lo, estão o diminuindo.

“Pois nem mesmo o Filho do homem veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos”.” Marcos 10:45

Servimos a Jesus? Então estamos sendo desobedientes, ou pelo menos temos que entender melhor esses dois textos. Temos que encontrar uma maneira de servir a Deus honrando a Deus.

Existe uma lógica humana que permeia a igreja contemporânea: se eu recebi algo de alguém, preciso devolver o favor. Transferindo essa lógica pra Deus dizemos: “Ele fez tanto por nós que agora precisamos…”. E o final da frase mostra se você vai honrar a Deus recebendo suas bênçãos pela graça ou vai tentar transformar graça em obras.

“Ó profundidade da riqueza da sabedoria e do conhecimento de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos e inescrutáveis os seus caminhos! “Quem conheceu a mente do Senhor? Ou quem foi seu conselheiro?” “Quem primeiro lhe deu, para que ele o recompense?” Pois dele, por ele e para ele são todas as coisas. A ele seja a glória para sempre! Amém.” Romanos 11:33-36

Honrar Deus e sua graça é reconhecer que somos sempre recebedores. Ele é sempre o benfeitor e nós os beneficiários. Inverter esses papéis acaba desonrando a Deus e em geral não é algo intencional, mas acontece.

O Que Há de Errado Nisso Tudo?

A lógica é: “Deus me deu tanto, agora sou seu devedor, vou retribuir seu favor pelo resto da minha vida.”

  1. É impossível: Tudo o que fizermos para pagar o débito só aumenta esse débito porque tudo o que temos veio dele.
    “Pois quem torna você diferente de qualquer outra pessoa? O que você tem que não tenha recebido? E, se o recebeu, por que se orgulha, como se assim não fosse?” 1 Coríntios 4:7
  2. Se fosse possível, não existiria a graça e sim uma transação de negócios: Você convida amigos para jantar simplesmente porque você gosta deles, se alegra-se em tê-los por perto, e não porque eles tem que retribuir o favor. E quando eles estão indo embora, você ouve o esposo cochichando para a esposa: “Olha, temos que chamá-los para jantar semana que vem…”. Acabou a graça.
  3. Essa lógica desvia nossa atenção da graça futura, nos deixando sempre presos à graça passada: é na graça futura que está o poder das promessas de Deus e é isso que nos dá poder para vencer o pecado e superar o desânimo.

Enfim, não devemos servir a Deus como se ele precisasse de algo e não devemos receber suas bênçãos como se pudéssemos pagá-las de volta.

A Oração é um Cálice Vazio

“Como posso retribuir ao SENHOR toda a sua bondade para comigo? Erguerei o cálice da salvação e invocarei o nome do SENHOR.” Salmos 116:12-13
Isso é algum pagamento? Não, isso é maravilhoso! O que darei de volta a Deus? Nada. Levantarei meu cálice e invocarei seu nome para receber mais. Qual o pagamento pela graça recebida? Mais graça recebida. “O que te darei, meu Deus? Aqui está meu cálice da salvação! Continue sendo Deus na minha vida!”

 “Se eu tivesse fome, precisaria dizer a você? Pois o mundo é meu, e tudo o que nele existe. Acaso como carne de touros ou bebo sangue de bodes? Ofereça a Deus em sacrifício a sua gratidão, cumpra os seus votos para com o Altíssimo, e clame a mim no dia da angústia; eu o livrarei, e você me honrará.”” Salmos 50:12-15

Deus não nos diria nada mesmo que precisasse pois TUDO é dele. E o final do texto esclarece a dinâmica da oração:

  1. Clame a mim no dia da angústia: Todos temos esse momento e podemos, devemos, clamar a ele.
  2. Eu o livrarei: Ele se moverá a seu favor, vai te atender com sua graça incrível.
  3. E você me honrará: É isso que ele ganha em troca, glória e honra.

Quem dá, recebe a glória. Se déssemos algo a Deus, nós teríamos a glória e aí mora o perigo do estilo de vida de serviço em nossas igrejas quando não alinhado com o fato de que Deus não precisa de nada e é sempre quem nos dá tudo. A oração é o ponto onde confessamos que somos sempre recebedores em relação a Deus, e assim somente ele recebe a glória e nós recebemos a alegria.

“Até agora vocês não pediram nada em meu nome. Peçam e receberão, para que a alegria de vocês seja completa.” João 16:24

“E eu farei o que vocês pedirem em meu nome, para que o Pai seja glorificado no Filho.” João 14:13

A oração existe para que nossa alegria seja completa, e os dois textos juntos nos dizem:

“Peçam-me e eu farei, para que sua alegria seja completa. Peçam-me e eu farei, para que o Pai seja glorificado”. Deus é glorificado quando nos satisfazemos nele. A oração é o ponto onde essas duas coisas acontecem. Deus é glorificado, nossos corações são satisfeitos e isso atrai o mundo desesperado.

Mas é Assim Mesmo Que Devemos Servir?

“Desde os tempos antigos ninguém ouviu, nenhum ouvido percebeu, e olho nenhum viu outro Deus, além de ti, que trabalha para aqueles que nele esperam.” Isaías 64:4

Há muitos deuses por aí, senhores, demônios. Todos competindo pela adoração humana. E somente Jeová se apresenta ao seu povo como aquele que não exige nenhum trabalho e sim trabalha para seu povo. E essa é a mensagem: “Você conhece o Deus que não é servido por mãos humanas? Ou só conhece um deus que exige ser servido ou você morrerá?”

““Escute-me, ó casa de Jacó, todos vocês que restam da nação de Israel, vocês, a quem tenho sustentado desde que foram concebidos, e que tenho carregado desde o seu nascimento. Mesmo na sua velhice, quando tiverem cabelos brancos, sou eu aquele, aquele que os susterá. Eu os fiz e eu os levarei; eu os sustentarei e eu os salvarei.” Isaías 46:3-4

“Se alguém fala, faça-o como quem transmite a palavra de Deus. Se alguém serve, faça-o com a força que Deus provê, de forma que em todas as coisas Deus seja glorificado mediante Jesus Cristo, a quem sejam a glória e o poder para todo o sempre. Amém.” 1 Pedro 4:11

Desta forma, devemos encontrar uma maneira de servir a Deus de forma que ele seja sempre o doador, o provedor. Servir recebendo dele sempre, de forma que a glória seja sempre dele como o doador. Se isso parece um paradoxo, algo estranho, talvez você esteja sendo confrontado com seu próprio Cristianismo.

““Ninguém pode servir a dois senhores; pois odiará um e amará o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Vocês não podem servir a Deus e ao Dinheiro.” Mateus 6:24

Como servir ao dinheiro? Você não trabalha para beneficiar o dinheiro. Você não bendiz ao dinheiro. Você serve ao dinheiro colocando todo seu pensamento, investimento e comportamento de forma a ser beneficiado pelo que o dinheiro pode dar – é assim que se serve ao dinheiro. E você não pode servir a Deus e ao dinheiro assim.

Como servir a Deus? Da mesma forma. Você serve a Deus usando toda sua mente, todo seu comportamento e todo o seu coração para estar onde é possível maximizar seu deleite em Deus. Onde está a bênção de Deus? Onde eu posso ter mais de Deus? É aí onde devemos servi-lo. É lá que seremos felizes de verdade. É lá onde ele será mais glorificado.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

www.000webhost.com